Falcão - Sam Wilson


Histórico

Falcão é um personagem do Universo Marvel, criado por Stan Lee e Gene Colan. Sua primeira aparição foi em Captain America Vol. 1, #117 (1969). Apesar de estar sempre disposto a trabalhar em dupla com Capitão América, Falcão participou do grupo de super-heróis chamado Os Vingadores.

Falcão é o primeiro super-herói afro-americano da Marvel. O primeiro herói negro dessa Editora foi Pantera Negra, um nativo africano. Falcão apareceu três anos antes de Luke Cage, estrela afro-americana da Marvel.

Falcão também é o primeiro super-herói negro a não ter a palavra "negro" no seu nome de super-herói, precedente de John Stewart, o Lanterna Verde.

O sobrinho falecido de Falcão era Jim Wilsom, amigo de Hulk, um dos primeiros personagens abertamente HIV-positivo dos quadrinhos.

Falcão era um notório criminoso conhecido como "Snap" Wilson em Harlem, Nova York. Um dia, a caminho do Rio de Janeiro, foi encontrado pelo Caveira Vermelha, que o usou num de seus esquemas para derrotar o Capitão América. Muitos anos depois Falcão se rebelaria contra o domínio do Caveira, e juntaria forças com o Capitão para derrotar o vilão. Reconhecendo o potencial de Falcão, o Capitão acolheu-o como aprendiz.

Com o codinome Falcão, Wilson recebe mais tarde a ajuda de Pantera Negra que cria asas mecânicas especiais que lhe permite voar. Falcão deixou de ser parceiro do Capitão América quando foi nomeado o líder dos super-agentes de S.H.I.E.L.D.

Mais tarde, como um dos poucos super-heróis negros ativos, foi recrutado para juntar-se aos Vingadores por Henry Peter Gyrich para satisfazer a cota racial. Ressentido por ser usado como um símbolo, parou na primeira oportunidade.

Quando os Vingadores ligaram-se à ONU, a mansão dos Vingadores foi declarada uma embaixada e Henry Peter Gyrich, que havia tido uma difícil relação com os Vingadores no passado, foi nomeado embaixador e contato dos Vingadores na ONU. Desconfiado, o Falcão pediu para tornar-se membro ativo dos Vingadores, o que lhe permitiria vigiar Gyrich de perto. Eventualmente, os dois acabaram criando uma relação de respeito mútuo.

Em uma situação, um Sentinela perseguiu-o, acreditando-o ser um mutante, mas depois se presumiu que o Sentinela estava em mal funcionamento. Nos anos 70, todavia, o próprio Professor X acreditava que Falcão podia ser um mutante, dada a capacidade do herói de se comunicar com seu falcão mascote Asa Vermelha. Depois se explicou que esse poder havia-lhe sido conferido pelo Caveira Vermelha.

Nas histórias dos anos 2000, a insana Feiticeira Escarlate destabiliza a mente de Falcão, revertendo-o a sua personalidade "Snap". Quando voltou a trabalhar com o Capitão América, o relacionamento mostrou-se desgastado e ambos acabaram brigando. Na tentativa de um antagonista disparar em Falcão, quem foi ferido foi o Capitão. Depois de se recuperar, o Capitão foi procurar pelo agora-ausente Falcão. Após ser mencionado que o Falcão tinha sido assassinado, Capitão América encontra o traje de Falcão abandonado em um campo. Com nada que explique seu desaparecimento, foi visto a caminho de Genosha. E reaparece em Civil War.

O forte desejo de ver as pessoas ajudando umas as outras, faz de Falcão se ver mais como um ajudante que um ícone. Armado de forte senso de comunidade, mantém-se sempre perto de seu bairro, o Harlem. Lá, ele pode viver tanto como herói, como ser um modelo de conduta. O Falcão devota todo seu tempo como um homem comum quanto um herói em atos de assistencialismo, concentrando sempre seus esforços em deixar uma marca no mundo.

O único super-poder de Falcão é sua ligação empática com seu pássaro Asa Vermelha dotado pelo Caveira Vermelha. Recentemente, o Falcão pôde estender sua ligação empática a outros pássaros.

Nos anos 70 ele começou a voar usando uma armadura especialmente construída equipada com asas, feita pelo Pantera Negra. Essa armadura foi destruída mas seu amigo lhe forneceu outra, com asas mais modernas, que podem ser configuradas em diversas formas diferentes.

É também um instrutor excelente de pássaros. Foi treinado na ginástica e no combate mão-à-mão pelo Capitão América.

Na primeira história em que aparece, Sam (de Samuel) Wilson conta ao Capitão América que ele estava em viagem rumo ao Rio de Janeiro. Esse fato, mais o nome e o primeiro uniforme que adotou, nas cores dourado e verde, sugeriram especulações entre os leitores do país de que o personagem foi criado com a intenção de ser um super-herói Marvel brasileiro. Tal hipótese não é tão absurda, pois como se sabe nos anos 60 houve uma grande campanha publicitária para lançar os super-heróis Marvel no Brasil. Talvez Stan Lee, como o grande vendedor que é tenha em algum momento resolvido ajudar a campanha e criar um super-herói dessa nacionalidade. Seja como for, a medida que o Falcão se torna um personagem recorrente, a idéia, se houve, foi abandonada. Wilson mudou seu uniforme para vermelho e branco, e se tornou um protetor do Harlen sem mais nem menos, a não ser o fato de ser uma pessoa da cor negra. Para solucionar esses e outros problemas de continuidade (como explicar sua ligação com seu mascote, se ele não era um mutante?: não foi detectado como tal pelos X-Men). A solução foi criar a trama em que ele foi manipulado pelo Caveira Vermelha, sendo revelada a sua identidade de Snap Wilson do Harlen, por conta desse acerto na cronologia.

Poderes

É capaz de se comunicar mentalmente com qualquer ave e pode receber imagens daquilo que as aves estiverem vendo.
Asas de luz sólida que lhe permitem voar e manobrar com extrema agilidade.