Mágico Vento




O autor de Magico Vento é Gianfranco Manfredi, tradicional roteirista de vários episódios de Dylan Dog e Nick Raider. O primeiro número saiu em junho de 1997, depois de um ano depreparação. A equipe de desenhistas à disposição de Manfredi é particularmenterica: dentre eles Bruno Ramella (criador do model sheet), Andrea Venturi (capista) e Josè Ortiz (autor de dois dos três primeiros números). A intenção de Manfredi é dar vida a um western documentado e realista mas que, ao mesmo tempo, apresente numerosos elementos de horror.
Na verdade, Magico Vento se chama Ned Ellis e é o único soldado sobrevivente de um massacre. Graças a umestilhaço de metal que se cravou em sua cabeça, perdeu a memória mas adquiriu odom de ter visões, tornando-se um "Homem Estranho" para os Sioux queo acolheram ferido. As suas aventuras se desenvolvem no Dakota (um dos Estadosmenos conhecidos e celebrados na tradição western) por volta de 1870: a Guerrada Secessão acabou há poucos anos e estão se iniciando as assim chamadasguerras indígenas.
Magico Vento é acompanhado emsuas aventuras pelo jornalista de Chicago Willy Richards, chamado de Poe emrazão da grande semelhança com o famoso poeta. Pequeno em tamanho mas muito corajosona busca da verdade (ainda que não refute abraçar-se a uma garrafa), Poe é peçafundamental na reconstrução do massacre no qual Ned perdeu a memória. De semencionar, também, o feiticeiro sioux Cavalo Manco, que, depois de ter curadoNed, tornou-se seu "mestre".

Nos poucos episódios publicadosaté agora já apareceu o principal inimigo de Magico Vento: trata-se do suspeitocomerciante Howard Hogan, que enriqueceu com a construção de numerosas cidadesao longo da ferrovia e causou o massacre no qual Ned foi ferido. Hogan écandidato ao senado, e por isso, obviamente, tentará silenciar para sempre Nede Poe.

Fonte : UBC Fumetti