Mirza - A Mulher Vampiro


Mirza, a Mulher Vampiro é um personagem brasileiro de histórias em quadrinho (ou Banda Desenhada em Portugal) criada por Eugênio Colonnese em 1967. Suas histórias pertencem ao gênero horror, que estava em voga durante a década de 60 no Brasil.
A principal marca das histórias de Mirza é sua sensualidade, ousada em comparação com os padrões de sua época, talvez herança dos fumetti italianos (terra natal do autor). Nos anos 60 a linha divisória entre quadrinhos adultos e infantis era mais tênue, e não existiam projetos como o selo Vertigo ou Marvel Max. (Os quadrinhos americanos ainda estavam atrelados ao então rígido Comics Code Authority).
Mirela Zamanova é a sétima filha de um nobre polonês cuja linhagem foi amaldiçoada. Durante um incidente no qual quase foi estuprada pelo namorado da irmã, a maldição de sua família a transformou em uma vampira. Após a transformação adotou o nome de Mirza e passou a errar pelas grandes metrópoles do mundo, onde constantemente esbarrava com outros seres sobrenaturais, tanto hostis quanto amigáveis. Quando lhe convém se passa por modelo profissional e é sempre auxiliada por seu criado corcunda Brooks.

Poderes: Como todos os vampiros, Mirza é uma espécie de morto-vivo, praticamente indestrutível. Diferente do que se espera, não é destruída pelo sol (as praias brasileiras são muito apreciadas pela condessa), nem por estacas de madeira em seu coração (isso apenas a enfraquece e imobiliza). Alimentada, ela mantém sua beleza e juventude - sua forma caquética, deformada pelo tempo, se revela apenas quando Mirza é privada do sangue humano por um longo período. Forte e resistente, ainda é capaz de transformar-se em morcego e dominar a mente de suas vítimas.

Parentes/amigos conhecidos: Brook, mordomo da vampira e seu único aliado, aparenta fragilidade, mas é forte e muito violento. É ele que, geralmente, providencia as vítimas para sua patroa.

Arqui-inimigo(s): Outros vampiros e caçadores de monstros

Fontes : Wikipédia
             Brasilverso