Superman


Superman (ou Super-Homem) é um personagem fictício cujas histórias em quadrinhos são publicadas pela editora estadunidense DC Comics, uma empresa subsidiária do grupo Time Warner, mas não se restringe a isso, tendo sido adaptado para diversas outras mídias, como cinema, rádio, televisão, literatura e vídeo-game. A personagem é, em seu universo, um super-herói e foi criado pela dupla de autores de quadrinhos Joe Shuster e Jerry Siegel. A personagem foi apresentada na revista Action Comics #1 em 1938 nos Estados Unidos.

Superman nasceu no fictício planeta Krypton e foi chamado pelos seus pais de Kal-El (que significaria Filho das Estrelas no idioma kryptoniano). Foi mandado à Terra por Jor-El, seu pai, cientista, momentos antes do planeta explodir. O foguete aterrisou na Terra na cidade de Smallville (Pequenópolis), onde o jovem Kal-El foi descoberto pelo casal de fazendeiros Jonathan e Martha Kent. Conforme foi crescendo, ele descobriu que tinha poderes diferentes dos humanos normais. Quando não está lutando contra o mal, ele vive como Clark Kent, repórter do Planeta Diário (Estrela Diária em Portugal). Clark trabalha com Lois Lane, com quem hoje é casado.

Superman é um dos mais importantes personagens da cultura pop ocidental, sendo o primeiro herói dos quadrinhos a ter uma revista intitulada com seu nome: Superman #1, publicada no verão de 1939. Além disso, Superman foi licenciado e adaptado para diversas mídias, desde rádio até televisão e cinema.

A origem e poderes do personagem foram sendo expandidos e alterados gradativamente ao longo dos anos para acompanhar a evolução do público. A história do Superman foi alterada para permitir as aventuras do Superboy e outros sobreviventes de Krypton foram criados como Supermoça e Krypto, o supercão. O personagem foi revisado e atualizado, mais recentemente em 1986. John Byrne recriou o personagem, reduzindo os poderes do Superman e apagando diversos personagens da versão oficial das histórias o que atraiu a atenção da mídia. Cobertura da imprensa foi novamente recebida na década de 90, com A Morte do Superman, uma história na qual o personagem era dado como morto.

Superman, dada a natureza seriada da publicação em quadrinhos e a extensão da existência do personagem evoluiu como um personagem conforme suas aventuras se incrementaram. Os detalhes da origem do Superman, relacionamentos e habilidades mudaram significativamente no decorrer da publicação do personagem, do que é considerada a Era de Ouro dos Quadrinhos até a Era Moderna. Os poderes e vilões foram desenvolvidos na década de 40, com o Superman desenvolvendo a habilidade de voar em 1941. O personagem descobriu a origem de Krypton em 1949. O conceito foi originalmente estabelecido para o leitor em 1939, nas tiras diárias do Superman. Os anos 60 viram a introdução de um segundo Superman, Kal-L. DC estabeleceu um multiverso dentro do universo fictício que seus personagens habitavam. Isto permitiu que personagens publicados em 1940 existissem ao mesmo tempo que suas contrapartes atualizadas publicadas na década de 1960. Isto foi explicado para o leitor através da noção de que dois grupos de personagens habitavam terras paralelas. O Superman da Terra 2 foi introduzido para explicar ao leitor como o Superman era membro tanto do grupo de super-heróis da década de 1940 Sociedade da Justiça da América quanto do grupo da década de 1960 Liga da Justiça da América..

Os anos 80 viram radicais revisões do personagem. DC Comics decidiu remover o multiverso de modo a simplificar sua linha de quadrinhos. Isso levou a toda história dos personagens DC ser reescrita, incluindo Superman. John Byrne reescreveu Superman, removendo várias convenções estabelecidas e personagens da continuidade, incluindo Superboy e Supergirl. Byrne também reestabeleceu os pais adotivos do Superman como personagens Na continuidade anterior os personagens haviam morrido cedo na vida do Superman (na época em que Clark Kent era um estudante colegial). Os anos 90 viram Superman ser assassinado por um vilão, Apocalypse, mesmo que o personagem tenha sido posteriormente ressuscitado. Superman também casou com Lois Lane, no ano de 1996. Na década de 2000, Superman virou vegetariano, e sua origem foi novamente revisitada em 2004. Em 2006, Superman perde seus poderes, mas eles foram reestabelecidos em um ano

Na história original de Siegel e Shuster, a personalidade de Superman é rude e agressivo. O personagem é visto combatendo gangsters, violência doméstica, com um código moral pouco ortodoxo. Escritores posteriores suavizaram o personagem, e introduziram um idealismo e um código de conduta moral. Mesmo não sendo tão sangue-frio quanto o Batman original, o Superman apresentado na década de 30 não tinha consciência do dano que sua força podia causar, agredindo vilões de maneira que fatalidades presumivelmente ocorriam, mesmo que não fossem explicitamente mostradas nas página. Isso terminou em 1940, quando o novo editor Whitney Ellsworth instituou um código de conduta para seus personagens seguirem, extinguindo qualquer assassinato causado pelo Superman..

Em Superman/Batman #3, Batman pensa, "Isto é uma interessante dicotomia. De diversas maneiras, Clark é o mais humano de nós todos. Então... ele lança fogos dos céus, e é difícil não pensar nele como um Deus. E como nós somos afortunados que isso não ocorra a sua mente.

A suposta origem dos poderes do Superman é o Sol amarelo da Terra. Em Krypton o astro é vermelho, e essa diferença de freqüência eletromagnética entre ambos os astros faria com que, de alguma forma, as células do corpo de Kal-El fossem "carregadas" como verdadeiras baterias vivas.

Clark Kent, a identidade secreta do Superman, foi baseado parcialmente em Harold Lloyd e batizado baseado em Clark Gable e Kent Taylor. Os criadores discutiram se na verdade o Superman pretende ser Clark Kent ou vice versa, e em diferentes períodos diferentes visões foram adotadas. Embora tipicamente um reporter de jornal, durante os anos 70 o personagem deixou o Planeta Diário por um tempo para trabalhar na televisão, durante a reformulação dos anos 80 por John Byrne viu o personagem tornar-se mais agressivo. Esta agressividade foi sendo diminuida com os criadores seguidamente restabelecendo o jeito suave tradicional do personagem.

Quando o gibi do Super-Homem chegou ao Brasil, o nome Clark foi mudado para Eduardo e o de Lois Lane para Mirian, o que foi corrigido após um tempo. O nome original Clark Kent foi alterado já nas primeiras histórias publicadas pela Ebal. Já Lois Lane só recebeu de volta seu nome original nos anos 80, após ser publicado no Brasil, pela editora Abril, o evento “Crise nas Infinitas Terras” (do qual a editora se aproveitou para fazer a mudança).

O grande elenco de apoio do Superman inclui Lois Lane, talvez a personagem mais conhecida associada ao Superman, sendo retratada diversas vezes, como sua colega, concorrente, interesse amoroso e/ou esposa. Outros importantes personagens de apoio incluem os colegas de trabalho do Planeta Diário como o fotógrafo Jimmy Olsen e o editor Perry White, os pais adotivos de Clark Kent Jonathan Kent e Martha Kent, Lana Lang, seu amor de infância e seu melhor amigo Pete Ross, e o interesse amoroso de faculdade Lori Lemaris (uma sereia); Histórias fazendo referências a possibilidade de filhos do Superman foram apresentadas tanto dentro quanto fora da continuidade principal.

Encarnações da Supermoça, Krypto, o supercão, e Superboy também foram personagens das histórias, bem como a Liga da Justiça (da qual o Superman geralmente é membro). Uma característica importante compartilhada por vários personagens de apoio são os nomes aliterativos, especialmente com as iniciais "LL", incluindo Lex Luthor, Lois Lane, Linda Lee, Lana Lang, Lori Lemaris e Lucy Lane.

Parcerias com o aliado ícone dos quadrinhos Batman são comuns, inspirando várias histórias ao longo dos anos. Quando em dupla, eles são referidos como "Os Melhores do Mundo" (World's Finest) em concordância com o nome da série que apresenta várias histórias das parcerias. Em 2003, DC Comics começou a publicar uma nova série apresentando os dois personagens intitulada Superman/Batman.

Superman também tem uma galeria de vilões, incluindo seu mais conhecido inimigo, Lex Luthor, que foi visto durante vários anos em várias formas desde um cientista louco com uma vendetta pessoal contra o Superman, ou um poderoso mas corrupto CEO de um conglomerado chamado LexCorp Na década de 2000, ele torna-se presidente dos Estados Unidos e foi descrito ocasionalmente como um amigo de infância de Clark Kent. O andróide alien conhecido como Brainiac é considerado por Richard George como o segundo inimigo do Superman mais efetivo. O inimigo que superou os demais, assassinando o Superman, é o monstro em fúria Apocalipse. Darkseid, um dos seres mais poderosos do Universo DC, é também um formidável inimigo nos quadrinhos pós-Crise. Outros inimigos que foram apresentados em várias encarnações do personagem, nos quadrinhos filme e televisão, incluem o duende da quinta dimensão Mr. Mxyzptlk, o Superman reverso conhecido como Bizarro e o criminoso Kryptoniano General Zod.

Superman apareceu no Brasil pela primeira vez em 1939, no suplemento chamado Gazetinha, do jornal A Gazeta de propriedade do jornalista Cásper Líbero. Com os direitos adquiridos por Adolfo Aizen, as aventuras do Homem de Aço passam para a lendária revista "O Lobinho".

Com a criação da editora Ebal em 1945, o editor Aizen lança as histórias do personagem em uma revista em quadrinhos chamada Superman. A revista foi publicada por 35 anos, de 1947 até 1983, um recorde do gênero. Não conseguindo manter mais os direitos, a Ebal repassou o personagem para a Editora Abril, que seguiu com as publicações até a virada do milênio.

Para aqueles que leram as histórias do herói até alguns anos atrás, é estranho ver o nome Superman sendo utilizado, ao contrário da tradução a língua portuguesa, Super-Homem. Não há exatamente um consenso. Os DVDs do herói, por exemplo, trazem o nome "Superman" em suas caixas, o chamam de "Super-Homem" na dublagem em português e "Superman" nas legendas também em português. Já o desenho animado da década de 90 o chamava de "Super-Homem" enquanto em sua continuação direta, Liga da Justiça, ele virou novamente Superman.

Quando as primeiras histórias do personagem chegaram ao Brasil, nos anos 40 e 50, era comum a tradução e a adaptação dos nomes. Sendo assim, a escolha óbvia era Super-Homem, apesar de que sua primeira revista se chamava Superman (Ebal, novembro de 1947) e dentro da revista era chamado de Super-Homem. Entretanto, após várias décadas, a globalização mostrou que ter um nome diferente do país originário do personagem pode ser muito prejudicial financeiramente.

Isso acontece porque bonecos, camisas e outros objetos promocionais são fabricados normalmente em apenas um país (a China, por exemplo) e depois exportados ao mundo todo e, na embalagem, consta o nome original do personagem. Quando o produto chega a um país onde esse nome é diferente, o importador se vê obrigada a gastar ainda mais dinheiro em novas embalagens e adaptações.

Foi por esse motivo que na versão brasileira da série As Novas Aventuras do Superman o nome do super-herói não foi traduzido. Preferiu-se utilizar Superman ao invés de Super-Homem. Com o sucesso da série, o nome Superman se tornou usual entre os fãs. Assim a Editora Abril, que era a responsável pelas histórias em quadrinhos do personagem no Brasil, aproveitou a oportunidade e começou a usar a versão em inglês.

Algo parecido já havia acontecido nos anos 80 dentro do universo do Superman. Desde as primeiras histórias no Brasil o nome de Lois Lane era adaptado como Miriam Lane. A Editora Abril aproveitou os acontecimento da Crise nas Infinitas Terras, em 1987, para poder finalmente grafar o nome da forma original.

A Kryptonita é formada de fragmentos radioativos de Krypton, o planeta natal do Super-Homem. Na Era de Prata, havia vários tipos diferentes de kryptonita:

Verde - a mais comum, é fatal a qualquer Kryptoniano, causa fortes dores e pode levar a Morte se a Exposição à sua radiação for Prolongada.

Vermelha - causa uma de muitas mutações imprevísiveis em nível físico e mental: pode alterar as emoções do Super-Homem, fazê-lo criar 2 braços extra, torna-lo um anão, um gigante, um dragão, uma criança, separá-lo num Superman mau e um Clark Kent bondoso e sem poderes, dividi-lo em um Superman azul e outro vermelho, torna-lo muito gordo, torna-lo muito cabeludo e barbudo, fazê-lo ficar com cabeça de formiga, fazê-lo incapaz de dizer qualquer coisa sem ser em kryptonês, fazê-lo amnésico, fazê-lo perder a invulnerabilidade na parte esquerda do corpo, etc. Os efeitos duram de 24 a 48 horas, e nunca se repete um mesmo efeito. Aparentemente, cada pedaço de kryptonita vermelha só podia afetar um kryptoniano uma única vez, necessitando outro pedaço para um novo efeito (mas que nunca seria o mesmo)

Azul - Letal para Bizarro, mas cura efeitos de outras kryptonitas em Superman (exceto a dourada)

Branca - Letal para a vida vegetal.

Antikryptonita - Possui o Efeito inverso da Kryptonita Verde, ela não é letal para os Kryptonianos, mas são fatais para os Humanos Normais, ela se formou no solo de Argo City, cidade kryptoniana da Supermoça.

Kryptonita X - verde, dá poderes quase iguais a o de Superman à humanos normais. Temporário, mas pode ser feito permanente.

Dourada - o mais raro isótopo de kryptonita, elimina PERMANENTEMENTE os poderes de kryptonianos a menor exposição, bem como qualquer possibilidade de vir a desenvolve-los. Nem mesmo a kryptonita X ou a azul pode devolvê-los. (felizmente, nas histórias oficiais Superman nunca se expôs a ela, ou seria o fim do Homem de Aço...).

Kryptonita jóia - criada pelo interno da Zona Fantasma Jax-Ur, esta não é realmente kryptonita, nem mesmo radioativa. Esta pedra permite aos internos da Zona Fantasma a poder influenciar o mundo fora da Zona. Eles podem focalizar suas forças de vontade na pedra a fim de criar os efeitos de poderes mentais que afetam seres humanos da Terra, como hipnose, rajadas mentais, rajadas psicocinéticas, ilusões e controle mental.

Após a Crise nas Infinitas Terras, o Super-Homem ganhou uma nova origem onde existia apenas um tipo de kryptonita: a verde.

Na Série Smallville que conta a história do Superman enquanto jovem, existem alguns tipos de kryptonita:

Verde - letal para o Superman

Vermelha - faz o lado negro de Superman aflorar

Preta - divide (ou une) o lado bom e o lado mal do Superman

Prateada - cria ilusões na mente do Superman

Azul - Inibe os poderes dos kriptonianos sob o Sol amarelo

A Morte do Super-Homem

Devido à queda das vendas da revista do Super-Homem, foi levada a cabo uma ideia para a sua recuperação e decidiu-se mostrar ao mundo como ele seria sem o Super-Homem. A partir dessa premissa, foi lançado em 1992 a história A Morte do Super-Homem, onde Super-Homem enfrenta Apocalypse, uma criatura virtualmente indestrutível. A batalha final decorreu nas ruas de Metrópolis em que como desfecho final, ambos morrem.