Hulk




O Incrível Hulk é um dos personagens mais conhecidos das histórias em quadrinhos. Foi o super-herói da segunda série de histórias criada por Jack Kirby e Stan Lee, em 1962, dando continuidade à revolução dos quadrinhos iniciada com o Quarteto Fantástico (Fantastic Four). Seu nome verdadeiro é Dr. Robert Bruce Banner.

Na história original dos quadrinhos, o Hulk é o selvagem e poderoso alter-ego do Dr. Robert Bruce Banner, um cientista que foi atingido por raios gama enquanto salvava um adolescente durante o teste militar de uma bomba por ele desenvolvida. Este adolescente, Rick Jones, tornou-se companheiro de Banner, ajudando-o a manter o Hulk sob controle e mantê-lo longe dos ataques dos militares, que viam a criatura como uma ameaça.

Ao invés de perecer pela radiação, o cientista foi condenado a uma vida compartilhada com o seu lado mais obscuro, o também chamado golias verde (ou Golias Esmeralda). Originalmente, a cor do personagem era cinza, mas, por problemas na hora da impressão dos quadrinhos (a gráfica não conseguia acertar a tonalidade), ele apareceu num tom esverdeado, fazendo com que o Hulk passasse a ser o "Gigante Esmeralda" que conhecemos desde o início.

Outro fato interessante é que, nas primeiras histórias, a transformação de Banner em Hulk ocorria apenas à noite, como se isso fosse alguma maldição similar à dos lobisomens. Porém, em pouco tempo, Kirby e Lee chegaram a um acordo e o Hulk passou a surgir toda vez que o Dr. Banner ficava irado e despertava em si seu lado mais selvagem.

Pode-se afirmar que os seus dois criadores se inspiraram fortemente no clássico livro de Robert Louis Stevenson, Dr Jekyll and Mr Hyde (no Brasil, Dr. Jekyll e Sr. Hyde ou, também, O Médico e o Monstro).

‘Quanto mais bravo, mais forte o Hulk fica’

A frase acima representa um dos fundamentos dos poderes do Hulk, cuja força é lendária no mundo dos quadrinhos. O Hulk é considerado o "MORTAL MAIS FORTE DA TERRA". No entanto, a ultra-força física não é o seu único poder. Abaixo, uma lista com as habilidades do personagem:

Força Física: a força do Hulk não ``possui um limite estabelecido´´, atingindo níveis inacreditáveis. Ele já destruiu um asteróide com 2 vezes o tamanho da Terra, bem como juntou as placas tectônicas de um planeta.. Com ela ele também pode pular enormes distâncias e usar sua palmada sônica.
Resistência Física: o Hulk possui uma das maiores resistências física dos quadrinhos, a ponto de sobreviver no espaço, sobreviver a altíssimas ou baixíssimas temperaturas, sobreviver no fundo do oceano, sobreviver a ``explosões nucleares´´, e mesmo ao efeito Super-Nova.
Super-Estamina: O Hulk é capaz de lutar por dias sem parar, ou mesmo nadar,por uma boa quantidade de tempo.
Resistência Mental: Devido as múltiplas personalidades e a complexidade da mente do Hulk, ele possui grande resistência a ataques mentais, sendo dificilmente vencido ou dominado por este tipo de ataque.
Resistência contra Ataques Místicos: O Hulk não possui invulnerabilidade a ataques místicos / mágicos, mas possui grande resistência se comparado aos outros heróis de mesmo nível de poder.
Fator de Cura: Considerado um dos melhores fatores de cura do Universo Marvel, o Hulk, quando tem sua integridade física atingida, é capaz de se regenerar quase que imediatamente sem sequelas. Podem ser citados como exemplos confrontos em que o mesmo teve a maior parte de sua massa muscular derretida (já foi dilacerada também) e se regenerou quase que instantaneamente.
Transformação instantânea: Bruce Banner pode se transformar no Hulk quase que instantaneamente, como ele fez ao ser alvejado com um tiro de rifle, que o Hulk pegou com os dentes.

Nos quadrinhos e no cinema, Bruce Banner namora Betty Ross, já na série de televisão era casado com a doutora Caroline Fields.

Na minissérie escrita por Neil Gaiman chamada 1602, a contraparte do Hulk chama-se David Banner, ele é um servo do Rei James da Escócia, que obedece à todas as suas ordens sem titubear. No final da minissérie, ele se transforma em um monstro bruto e cinza.

Assim como diversos personagens Marvel, Hulk também ganhou sua versão Ultimate. Nesta versão o Hulk é semelhante a um lutador de luta livre, daqueles tipos mais dementes, é racional, mas ataca com toda a fúria, fazendo piadas e mostrando o quanto é macho.
O surgimento dele não se deu através da Bomba Gama(Bomba-G), mas em experiências feitas pelo Doutor Bruce Banner, ele mesmo sendo a cobaia, para o projeto do Super Soldado do governo dos Estados Unidos, experiências estas, feitas com material radiotivo.

Em sua primeira aparição ele destrói a mansão dos vingadores, por pouco não causa um acidente nuclear, além de quase matar Os Supremos.

A primeira vez que as aventuras em quadrinhos do Hulk apareceram no Brasil foi com a revista Super X da Editora Ebal, lançada em 1966 como parte da campanha promocional dos chamados "Super-Heróis Shell", com os primeiros números distribuídos gratuítamente nos postos de gasolina daquela bandeira. Ele dividia a revista com outro super-herói: Namor, o Príncipe Submarino. Mas a primeira vez que o Hulk teve uma revista própria e com seu nome foi em 1972, na breve passagem pela Editora GEA. Em 1975 a Bloch Editores lançou a revista do Hulk, republicando as aventuras desde o número 1 da revista americana. Quando a RGE adquiriu os direitos do personagem, no início da década de 80, lançou sua revista juntamente com a do Quarteto Fantástico e o Homem-Aranha, republicando algumas histórias que haviam sido publicadas pela Bloch. Depois de 48 edições, o Hulk passou para a Editora Abril, que o publicou até a virada do milênio. Após este período, o personagem e todos os direitos da marvel, no Brasil, foram adquiridos pela Editora Panini, gigante mundial no seu segmento. O verdão chegou a ter título próprio, na referida editora, que durou até o nº16, sendo cancelado. As aventuras do Hulk podem ser acompanhadas no mix da revista Universo Marvel.

O roteirista Greg Pak escreve duas sagas para o personagem Hulk, e coloca o verdão como o centro das atenções da HQs da Marvel. Nestas sagas, as histórias não foram só publicadas no gibis do Hulk, como também foram publicadas em X-Men Extra, em Avante, vingadores, etc.


Planeta Hulk: Nesta história, o Gigante Esmeralda é enganado pelos Illuminati, e é exilado no espaço. O verdão pousa em um planeta muito perigoso, chamado Sakaar, onde é feito escravo e é obrigado a lutar para sobreviver, por isso, se torna gladiador e luta com monstros gigantescos e muito poderosos. Como gladiador, Hulk forja o Pacto de Guerra, um grupo de monstros extraterrestres. Após derrotar o governante do planeta, Rei Vermelho, Hulk se torna o novo líder de Sakaar, e casa com a rainha Caiera, fazendo de Sakaar um planeta independente e pacífico. Mas um tragédia acontece, a espaçonave que levou o Hulk até Sakaar explode, causando uma imensa explosão, matando quase todos os habitantes de Sakaar, também matando Caiera e o filho que esperava de Hulk. Os únicos sobreviventes foram Hulk e o Pacto de Guerra.

Hulk contra o mundo: Depois de ter a vida arruinada pela explosão da nave. O Pacto de Guerra vai á Terra, para se vingar dos Iluminatti. Porém os Iluminatti, esperavam a chegada de Sentinela para combater Hulk; mas era difícil ele aceitar, pois ambos eram amigos. Hulk jurava destruir a Terra para se vingar e ele faz uma arena para capturar os Iluminatti e fazer passarem por batalhas, uma delas, eram lutar uns aos outros até a morte. Sentinela aceita lutar com Hulk, e impede os Iluminatti de se matarem. Quando Hulk se destranforma e derrota Sentinela, Rick Jones é atingido por uma lança no coração. Hulk se revolta com os membroa do Pacto de Guerra, golpeando alguns deles e deixando um muito ferido. A saga termina, quando Hulk libera a energia Gama e se destransforma novamente, onde é aprisionado pela SHIELD.

O Incrível Hulk teve algumas séries de desenhos animados em 1966, 1982 e 1996, mas foi em 1978 que ele ganhou uma série de TV e atingiu um público diferente dos quadrinhos.

Anos depois, surgiram outros desenhos animados do Verdão, mas o sucesso jamais se comparou ao obtido pelo seriado.

Em 2006, o Ultimate Hulk aparece no filme animado Os Supremos e no mesmo ano, na continuação do filme: Os Supremos 2. Em 2009, Hulk terá mais dois filmes animados: Hulk Vs. Wolverine e Hulk Vs. Thor.

O maior sucesso do Hulk na telinha foi o da série com atores reais. Apesar dos argumentos previsíveis e das críticas dos jornalistas, essa série teve 80 episódios de uma hora, e mais três filmes para televisão.

O seriado fugia um pouco do conceito original dos quadrinhos, mas conseguiu fazer bastante sucesso. Nele, o Dr. Banner (chamado no seriado de David Bruce Banner) era interpretado com maestria por Bill Bixby, o mesmo ator das séries Meu Querido Marciano (My Favorite Martian) e O Mágico (The Magician). Para o papel do alter-ego verde de Banner, havia os músculos e os grunhidos do atleta fisiculturista, personal trainner e Mr. Universo Lou Ferrigno. Apesar do orçamento limitado, o produtor Kenneth Johnson (de V - A Batalha Final) tinha o apoio do genial Stan Lee, um dos criadores do personagem. Lee não escondeu, em entrevistas posteriores, que os produtores queriam mudar o nome de Bruce para David, porque não achavam Bruce um nome muito "másculo".

A origem do Hulk, é verdade, sofreu várias adaptações para o público aceitar toda a ficção. Uma das mudanças mais significativas é que o Hulk da TV não falava nada, mas fazia muito barulho quando nervoso. O nome completo verdadeiro foi modificado de Robert Bruce Banner para David Bruce Banner(nome visto no tumulo de sua suposta morte) e o nome simples verdadeiro Bruce Banner para David Banner.

No primeiro episódio, David Banner estava trabalhando no laboratório quando aconteceu um acidente que acabou matando seu assistente. Contaminado pelos raios gama, o cientista se transforma no terrível monstro verde. Só que o jornalista Jack McGee (interpretado por Jack Colvin) presencia o Gigante Esmerala saindo do local do "crime". Sua primeira transformação no episódio é quando está dirigindo seu carro, então o pneu fura, era um dia chuvoso, mas Banner saiu do carro e foi trocar o pneu, só que ao mexer no macaco ele fez um corte no dedo, ele ficou nervoso e ocorreu sua mutação: seus olhos ficaram verdes, suas roupas rasgaram, e surgiu o nosso Incrível Hulk. Hulk, com sua fúria, destruiu o carro e o arremessou numa ribanceira; depois disso, fugiu.

A partir daí, o incansável jornalista passou a perseguir David Banner, em todos os episódios procurando o monstro chamado Hulk. Inspirado na série da década de 1970 O Fugitivo, Bruce Banner torna-se um foragido da justiça, carregando a maldição de transformar no gigante.

Os roteiros eram sempre os mesmos: fugindo de Jack McGee, o cientista David Banner mudava de nome, cidade e encontrava alguém passando por problemas; andando sempre com uma mochila nas costas e pedindo carona. Acontecia um fato que o deixava nervoso e ele se transformava no Hulk. Sem querer, o monstro verde acabava solucionando o problema na força!

No final de cada episódio, uma memorável e melancólica música instrumental contribuía na dramatização do sofrimento de Banner, que vagava solitário e sem rumo nas estradas americanas, procurando por uma carona.

Vários atores conceituados na televisão, como Pat Morita (de The Karate Kid); Morgan Woodward (de Star Trek) e Gary Graham (de Alien Nation), também fizeram suas participações. A fórmula se esgotou e, mesmo com o protesto dos fãs, Hulk foi cancelado.

Os filmes que lhe deram sequência, alguns dos quais dirigidos pelo próprio Bixby, não foram bem sucedidos. Neles, aparecem outros heróis da Marvel, como O Demolidor e Thor (quase irreconhecíveis em relação aos quadrinhos, para irritação dos fãs).

No ano de 1988, foi feito um especial chamado The Incredible Hulk Returns (O Retorno do Incrível Hulk), com direção de Nicholas Corea. Nesse filme, o Hulk enfrenta um Thor bem diferente de sua versão dos quadrinhos, neste filme aparece até o alter-ego de Thor, Don Blake.

O segundo filme para TV foi no ano seguinte e se chamava The Trial of The Incredible Hulk (O Julgamento do Incrível Hulk). O roteiro era de Gerald Di Pego e direção do próprio Bill Bixby. Dessa vez, o Hulk encontrou o herói cego Demolidor (na dublagem clássica do telefilme, o Demolidor se chamava Audacioso), que se vestia de preto e mais parecia um ninja. Ou seja, também nada a ver com sua versão nas HQs!

Na história, David Banner era acusado por um crime que não cometeu. Durante um pesadelo sobre o julgamento, no momento mais marcante, ele fica tão nervoso que se transforma no Hulk, destruindo todo tribunal. O vilão nesse filme é Wilson Fisk, o Rei do Crime.

Em 1990, foi gravado The Death of The Incredible Hulk (A Morte do Incrível Hulk), no qual o personagem da Marvel cai de um avião e acaba falecendo.

O grande sonho de Bill Bixby era fazer uma continuação que se chamaria Rebirth of Incredible Hulk (O Renascimento do Incrível Hulk). Todavia, o ator não conseguiu interessados em patrocinar sua idéia. Não bastasse isso, ele não era convidado para papéis importantes na televisão e nem no cinema, porque ficou marcado pelo fato de ter interpretado o personagem.

Bixby teve, inclusive, diversos problemas familiares, como a morte de seu filho, que estava doente e, anos depois, sua esposa cometeu suicídio. Deprimido e sem motivação, ele acabou falecendo no ano de 1994, vítima de câncer na próstata. Seu último trabalho foi como diretor de episódios do seriado juvenil "Blossom".

Hulk foi adaptado para o cinema em 2003, assim como vários outros personagens da Marvel no mesmo período. O filme foi dirigido por Ang Lee (mesmo diretor de O Tigre e o Dragão). Como é tradicional nesse tipo de adaptação, a história (e sobretudo a origem) do personagem foi drásticamente mudada mas como é imprescendível ao contexto,a essência do personagem foi mantida.

O segundo filme Baseado no personagem teve parte da filmagem realizada no Rio de Janeiro. O início do filme se passa na Favela da Rocinha no Rio de Janeiro. Bruce se exilou no Rio de Janeiro. Entretanto, somente o início do filme se dá no RJ, que trabalha bem os problemas sociais da região. Logo após o clichê da infraestrutura militar e arquitetônica dos EUA vem e toma conta do resto do filme, sem explorar os dilemas de personalidade do personagem.