Talia al Ghul


Talia al Ghul é uma personagem fictícia do Universo DC filha do supervilão Ra's Al Ghul e par romântico do Batman. Por vezes seu nome aparece sob a grafia de Talia Head, uma derivação do nome de seu pai que em árabe significa "Cabeça do Demônio".
Sua primeira aparição aconteceu na revista Detective Comics #411 (maio 1971) e desde então o caráter da personagem foi situado em uma dicotomia na qual Talia se divide entre a lealdade a seu pai e seu amor por Batman, considerado por Ra's como o único homem digno de sucedê-lo como líder de sua organização e de se casar com sua filha. A recusa do Cavaleiro das Trevas em acatar-lhe os métodos torna conflituosa essa situação e impede que o romance entre Batman e Talia al Ghul se desenvolva plenamente.
A melhor definição sobre seu caráter é a de anti-heroína ora associada aos planos de seu pai, ora aliada a Batman, não raro salvando-lhe a vida. Recentemente ela auxiliou o herói nos eventos que resultaram na queda de Lex Luthor.
Foi na graphic novel Batman: Birth of the Demon (1992) que os leitores descobriram como Ra's al Ghul conheceu a mãe de Talia, mulher com ascendência árabe e chinesa no Festival de Woodstock. Segundo consta a mãe de Talia morreu devido a uma overdose. Todo esse enredo rememte e complementa o exposto em outra graphic novel intitulada Batman: O Filho do Demônio (1987), onde descobriu-se que a mãe de Talia era chamada de Melisande e foi assassinada por um antigo servo de Ra's chamado Qayin.
Quando jovem, Ra's levou sua filha aos mais variados recantos do mundo e como resultado Talia al Ghul tornou-se especialista no combata corpo a corpo e hábil no manuseio dos mais variados tipos de armas, de espadas a revólveres auxiliando ainda seu pai na condução das diferentes organizações por ele controladas.
O primeiro encontro entre Talia e Batman foi mostrado na história "Into the Den of the Death-Dealers!" escrita por Denny O'Neil e publicada em Detective Comics #411 (maio 1971) . Na trama, ela foi resgatada por Batman das mãos do Dr. Darkk, apresentado como o líder da Liga dos Assassinos. Por fim foi revelado que a Liga é na verdade parte da extensa organização criminosa de Ra's al Ghul, O Cabeça do Demônio, e que Darkk aparentemente se rebelara contra Ra's após falhar em uma missão e receber uma sentença de morte por conta de seu fracasso. Ao final da história ela atirou em Darkk para salvar a vida de Batman.
Com o passar dos anos muitas razões levaram a crer que o incidente envolvendo o Dr. Darkk foi um teste para avaliar a capacidade e as reações de Batman. Senão vejamos:

* Ra's al Ghul, e não o Dr. Darkk, é o verdadeiro líder da Liga dos Assassinos.

* Os membros da Liga dos Assassinos são fanáticos prontos para morrer ante uma mera ordem de Ra's al Ghul ou Talia.

* Talia sempre foi relutante quanto a usar armas e a cometer assassinatos, características que seriam insistentemente trabalhadas nas futuras caracterizações da personagem conforme o caso.

* A morte do Dr. Darkk foi algo mais do que convincente para impedir que Ra's al Ghul perdesse o controle da Liga dos Assassinos ante o avanço de inimigos internos.

A história "Into the Den of the Death-Dealers!" foi bem-sucedida a ponto de gerar uma continuação intitulada "A Filha do Demônio" publicada em Batman #232 (junho 1971). Idealizada por Denny O'Neil e Neal Adams, é considerada até hoje como um dos clássicos da cronologia do homem-morcego em especial pela participação de Ra's al Ghul. Em "A Filha do Demônio", Dick Grayson (Robin) é seqüestrado. Então Ra's al Ghul surge na Batcaverna e revela conhecer a identidade secreta de Batman ao tempo em que revela que, assim como o menino-prodígio, sua filha também foi seqüestrada. Diante de tal fato Batman soma esforços com Ra's à procura de Dick and Talia; no fim foi revelado que Talia está apaixonada por Batman e que seu seqüestro foi, na verdade, um ardil de Ra's visando avaliar se Batman estaria apto a casar-se com Talia e comandar o império de Ra's. Contudo Batman rejeita os planos do vilão e vai embora sem corresponder aos sentimentos de Talia. Desde então os encontros entre Talia e Batman tornaram-se mais freqüentes ainda que a relação dos mesmos viva sob a constante dicotomia entre a lealdade de Talia para com seu pai e seu amor por Batman. Há de se observar, porém, que Talia mostrou-se uma importante aliada de Batman em momentos cruciais da vida do herói, como por exemplo quando eles se encontraram em Mônaco e ela o encorajou a retornar a Gotham City após a cidade ter sido declarada Terra de Ninguém de modo a recompor seu espírito de luta, salvar a cidade e, nas palavras de Talia, recuperar "aquilio que o tornava forte e valoroso", o que o fazia valer para ela.
Na graphic novel Filho do Demônio, Ra's al Ghul consegue a ajuda de Batman na caçada aos responsáveis pela morte de sua esposa e ao longo da trama ocorre o casamento entre Bruce Wayne e Talia que logo se encontra em estado de gravidez. Porém o enlace sofreu um sério revés quando Batman foi gravemente ferido ao proteger sua esposa e seu filho do ataque de um grupo de assassinos profissionais. Passado o susto, Talia conclui que se permanecer ao lado de Batman ele sempre será forçado a defendê-la e com isso ficar à mercê de seus inimigos. Ela então simula um aborto e a seguir põe fim ao seu casamento.
Todavia a gravidez de Talia seguiu sem maiores sobressaltos e ela deu a luz a uma criança que foi deixada num orfanato, ganhou pais adotivos e recebeu o nome de Ibn al Xu'ffasch, ou "O Filho do Morcego" em árabe. A única pista a respeito da identidade de seus pais biológicos é uma correntinha posta ao redor do pescoço da criança que foi presenteada à sua mãe por Batman quando ela anunciou que o casal teria um filho.
Infelizmente nem mesmo a boa repercussão da trama impediu que ela fosse posta à margem da cronologia oficial das histórias de Batman pela cúpula da DC Comics, mas nem por isso os editores ignoraram por completo a existência "não oficial" do filho do morcego, cuja presença se faz mais assídua nos chamados Elseworlds tais como: O Reino do Amanhã e sua continuação, a minissérie Hipertempo, publicadas no Brasil pela Editora Abril entre 1997 e 2001, sem mencionar a Irmandade do Morcego. Dependendo do enfoque o herdeiro de Batman e Talia é apresentado ora como infante, ora como adulto.
Na minissérie Batman: Bane do Demônio (março-junho 1998), Talia teve um breve noivado com Bane, o homem que "quebrou o Batman" na saga A Queda do Morcego considerado por Ra's o novo par ideal para sua filha. Entretanto, não demorou muito e logo ela passou a rejeitar o referido compromisso, embora seu pai insistisse no fato de que ela realmente se casaria com seu escolhido. Entretanto, uma nova vitória de Batman sobre Bane pôs fim a mais uma encenação de Ra's visando unir em matrimônio o defensor de Gotham City e Talia. Melindrado pela situação em que fora envolvido Bane jurou vingança contra Ra's al Ghul.
Após auxiliar seu pai uma última vez quando este pôs a nocaute os membros da Liga da Justiça (na saga "Torre de Babel", publicada no Brasil em dezembro de 2001 na revista Superman Premium 17 lançada pela Editora Abril), Talia sentiu-se culpada por perverter os planos e estratégias de seu amado em favor de seu pai e com isso o deixou para assumir em seguida a presidência da LexCorp quando Lex Luthor tornou-se Presidente dos Estados Unidos. Em seu novo posto ela deu segmento a algumas das estratégias de seu antecessor, entretanto sem que ele soubesse (visto que estava obcecado em destruir o Superman) Talia não se furtava a ajudar Batman quando se fazia preciso e chegou inclusive a transferir todos os recursos da Lexcorp à Fundação Wayne, o que a tornou diretamente responsável pela queda de Luthor. Tais eventos foram acompanhados pelos leitores brasileiros entre fevereiro e junho de 2005 quando a Panini Comics do Brasil publicou um arco de histórias sobre o embate entre Superman e Batman contra o vilão-mor de Metrópolis, disputa que atingiu seu ápice em Superman 31.
Em A Morte e As Donzelas foi revelado que, durante suas viagens pela Rússia no século XVIII Ra's al Ghul teve um romance e em razão disso teve uma outra filha chamada Nyssa, abandonada pelo pai durante o período mais difícil de sua vida quando foi torturada e viu toda a sua família ser morta num campo de concentração durante o Holocausto. Jurando vingança, Nyssa planejou minuciosamente o uso de toda a sua riqueza e dos demais recursos que dispunha para assassinar seu pai e nesse ínterim seqüestrou e fez uma lavagem cerebral em sua irmã de modo a converter Talia em uma arma capaz de matar Ra's. Nyssa também planejou o assassinato do Superman após roubar os projéteis de kryptonita guardados na Batcaverna.
Bem-sucedido ao impedir o assassínio do Homem de Aço, Batman não pôde impedir a morte de Ra's nas mãos de Nyssa Raatko, na verdade um intrincado plano do vilão engendrado para saber se suas filhas estariam aptas a sucedê-lo. Com a morte de Ra's al Ghul as irmãs foram aclamadas como as novas "Cabeças do Demônio", comandantes-em-chefe da organização criada por seu pai sendo que Talia renegou todo o seu amor por Bruce Wayne em razão de sucessivas torturas inflingidas a ela por Nyssa em pessoa. Desse modo o guardião de Gotham City passou a ser odiado por toda a descendência de seu inimigo, embora ainda hoje persista uma dúvida quanto à nova atitude de Talia: ela agiu por vontade própria ou estava sob o controle da irmã?
No especial Contagem Regressiva para Crise Infinita foi revelado que Talia integrava o alto escalão da Sociedade Secreta dos Supervilões ao lado de personagens como Alexander Luthor Jr. (disfarçado como Lex Luthor, o ancestral inimigo do Superman), Adão Negro, Dr. Psycho, Exterminador e Calculador. Em determinado momento Nyssa revela à Cassandra Cain, até então a nova Batgirl que a participação de sua irmã nessa cabala é parte de uma estratégia que a permita tomar o controle do planeta e assim permear o mundo com seus ideais de paz e igualdade.`Tais planos foram frustrados tanto pela derrota de Nyssa quanto da Sociedade.Com a aparente morte de Nyssa pelas mãos de Cassandra Cain a liderança da organização de Ra's al Ghul coube a ela e Talia, aclamada como a nova "Cabeça do Demônio".
Recentemente o filho de Batman e Talia apresentado em "O Filho do Demônio" foi reinserido na cronologia oficial da DC Comics na história "Batman & Filho" escrita por Grant Morrison na qual a criança não foi abandonada pela mãe nem entregue à guarda de pais adotivos. Sua chegada representa um desafio à conduta de Bruce Wayne ante a nova situação da paternidade e a relação que o jovem Damian manterá com Tim Drake.
Uma versão animada de Talia Head apareceu nos desenhos animados do homem-morcego, tanto na série do Batman "original" quanto em Batman do Futuro, onde foi revelado que Ra's al Ghul transferiu sua mente para o corpo da filha "assassinando-a" durante o processo.
A personagem não aparece em Batman Begins, mas é citada durante a trama.